O projeto está usando a geotecnologia para contribuir no monitoramento e preservação de recursos hídricos

Durante os dias 18 e 23 de março de 2018 ocorreu em Brasília o Fórum Mundial da Água, maior evento sobre o tema água, sendo organizado pelo Conselho Mundial da Água, que promove a conscientização, construção de compromissos políticos e abrange todas as ações e gestão voltada ao uso da água no planeta. E a Caesb foi representado por Carlos Eduardo, que levou o Projeto Atlas até o evento.

Representando o time Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal) no evento, o Gerente de Geoprocessamento Carlos Eduardo Machado Pires apresentou o Projeto Atlas no estande reservado para a empresa e em outros dois ambientes destinados aos profissionais e cidadãos envolvidos à comunidade global.

caesb - techsummit

Segundo Carlos Eduardo, “a participação da Caesb no 8 ° Fórum Mundial das águas foi uma excelente oportunidade para, além de conhecer novas tecnologias, poder contribuir com a comunidade ao demonstrar nossos cases de sucesso, em especial, aqueles em que o uso de inteligência geográfica se mostra ferramenta indispensável para garantir a preservação de nossas águas”.

Os benefícios adquiridos pela Caesb com o projeto

Durante as apresentações, o profissional mostrou os benefícios que a companhia vem a ganhar através do uso da Plataforma ArcGIS, como por exemplo a acessibilidade à dados confiáveis em qualquer lugar, identificação de inúmeras áreas irregulares, ampliação do potencial de arrecadação, dentre outros.

Com o Projeto Atlas, a Caesb identificou um potencial de arrecadação de R$ 43 milhões com a identificação de ligações irregulares, obteve também R$ 5 milhões de redução em gastos apenas com identificação de desvios em suas vistorias no bairro Sol Nascente.

Além da exposição dos trabalhos, o fórum mundial das águas se mostrou de extrema importância para o atual momento do país, pois empresas e órgãos governamentais de vários países podem discutir e trocar experiências sobre um assunto vital que é o uso racional e preservação dos recursos hídricos, afirmou Carlos Eduardo.