A Importância da Governança em SIG: Rumo ao Sucesso na Era da Informação Geoespacial

Aline Coimbra

Analista de Sucesso do Cliente

Organizações que estão expandindo suas capacidades de SIG precisam estabelecer uma governança sólida para que se tenha sucesso a longo prazo em seu uso. Por isso, neste artigo, trazemos o enfoque sobre a temática da governança para decisões em SIG e reflexão de como as empresas possam conduzir essa atividade.

O processo é importante, pois organizar e gerenciar de maneira eficaz informações geoespaciais (como mapas e dados de localização) em uma instituição envolve criar regras e diretrizes para a coleta, armazenamento e uso dessas informações.

Ter uma boa governança para SIG ajuda as organizações a tomar decisões mais informadas e estratégicas com base em dados geoespaciais. Isso inclui planejar como os dados serão usados, quem terá acesso a eles e como eles serão mantidos atualizados.

A governança também ajuda a garantir a qualidade dos dados geoespaciais, reduzindo erros e duplicações. Isso é essencial para que as decisões tomadas com base nessas informações sejam confiáveis e eficazes.

Antes, o SIG era usado principalmente para registrar ativos da cidade e informações cartográficas. No entanto, as novas demandas por aplicações baseadas em localização elevaram as utilidades a novos patamares. Sem uma gestão adequada da demanda, definição de expectativas e incentivo ao desenvolvimento dessas aplicações, percebe-se uma maior dificuldade de gerenciamento e avanços. A governança do SIG é fundamental para o sucesso da transformação digital baseada em localização.

A governança abrange o controle de todos os aspectos relacionados ao SIG, incluindo aplicativos, infraestrutura, dados, equipe e financiamento. É essencial para evitar que os planos fiquem estagnados e assegurar o sucesso a longo prazo do SIG.

Onde possivelmente estamos errando?

1. Falta de Compreensão: Muitos gestores reconhecem a necessidade da governança, mas não compreendem completamente o que isso implica. Isso leva a tentativas desorganizadas e fragmentadas de implementar a governança, muitas vezes se concentrando em áreas específicas, como o acesso a dados ou a propriedade de aplicativos, em vez de uma abordagem abrangente.

2. Falta de Continuidade: Os programas de governança de SIG muitas vezes não dedicam atenção suficiente à manutenção contínua. Estabelecer um comitê diretor e atribuir responsabilidades é importante, mas manter o programa funcionando além de reuniões semestrais exige comprometimento e dedicação constantes.

3. Dependência de Outros Níveis de Governança: A governança de SIG muitas vezes é subordinada a programas de governança de TI ou governança de dados mais amplos da organização. No entanto, esses programas gerais podem não abordar as nuances específicas do SIG, como decisões de plataforma, requisitos de dados geoespaciais e habilidades da equipe.

4. Mudança Cultural e Resistência: A governança é uma mudança cultural que requer disciplina. Algumas pessoas veem regras como burocracia, e a resistência à mudança pode impedir o sucesso da governança. É importante abordar a governança de maneira sistemática e explicitar seu valor para as partes interessadas, para que compreendam a importância dessa tarefa.

Em resumo, a implementação bem-sucedida da governança de SIG exige uma compreensão compartilhada do seu propósito, um compromisso contínuo, uma abordagem adaptada às necessidades específicas do SIG e uma mudança cultural que enfrente a resistência à mudança.

É importante distinguir entre governança e gestão. Governança se concentra em definir a direção, enquanto a gestão se concentra em executar as instruções. Embora ambas sejam vitais, a distinção permite focar em fazer as coisas certas (governança) e fazer as coisas corretamente (gestão).

Na prática, a governança envolve a implementação de processos definidos com base nas principais áreas de decisão apoiadas pelo SIG. Cada processo inclui metas, indicadores de desempenho, atividades estruturadas, funções e responsabilidades, bem como políticas e procedimentos.

No final, a governança agrega valor às partes interessadas, permitindo que a organização tome decisões mais bem relacionadas ao SIG que estejam alinhadas com sua missão estratégica e equilibrem eficazmente benefícios, riscos e recursos.

Identificam-se seis domínios principais de decisão para a governança de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e seus processos de governança correspondentes:

1. Domínio de Estratégia: Envolve estabelecer a visão e os objetivos estratégicos relacionados ao SIG da organização, definindo a estrutura organizacional e acompanhando o progresso em relação ao plano estratégico.

2. Domínio da Plataforma: Trata das decisões relacionadas a aplicativos e infraestrutura que formam a base do SIG, incluindo tecnologia de mapeamento, geoanalíse, aplicativos móveis e gerenciamento de imagens. A governança nesse domínio visa garantir uma arquitetura tecnológica sustentável e alinhada com a estratégia.

3. Domínio de Dados: Os dados são o cerne do SIG, abrangendo dados geoespaciais e não geoespaciais, estruturados e não estruturados. A governança desse domínio estabelece padrões de dados, modelos arquitetônicos, controle de acesso e responsabilidade ao longo do ciclo de vida dos dados, incluindo a estrutura de propriedade dos dados.

4. Domínio da Força de Trabalho: O SIG requer habilidades únicas e é utilizado por várias partes interessadas. A governança aqui considera o desenvolvimento de competências, talentos e relacionamentos externos em toda a força de trabalho, visando manter uma equipe qualificada.

5. Domínio de Entrega: Envolve práticas que promovem a entrega eficiente do SIG como serviço para a empresa, abrangendo a captura de necessidades, entrega, comunicação e gestão de mudanças para garantir uma operação SIG eficaz.

6. Domínio de Investimento: Este domínio lida com a alocação de recursos e priorização de decisões de investimento relacionadas ao SIG, alinhando esses recursos com as prioridades estratégicas da organização.

Cada domínio tem processos de governança específicos para garantir que o SIG seja gerenciado de forma eficaz e que as decisões se alinhem com os objetivos empresariais. A governança de SIG visa criar valor para as partes interessadas, promovendo responsabilidade, conformidade e decisões informadas.

A estrutura de gestão envolve a organização das partes interessadas em equipes relevantes e estabelece relações de subordinação claras. Embora não haja uma estrutura única que funcione para todas as organizações, uma estrutura de três níveis é comum.

1. Influenciadores: Este grupo inclui partes interessadas influentes que não tomam as decisões finais sobre o SIG, mas cuja contribuição é crucial para o sucesso. Eles estão preocupados com o valor comercial, riscos e alinhamento com os objetivos gerais do negócio.

2. Comitê de Direção: O comitê de direção é o órgão principal de tomada de decisões relacionadas ao SIG. Sua função é definir a direção geral e aprovar as principais decisões.

3. Grupos de Trabalho Específicos: Existem grupos de trabalho dedicados às áreas específicas, como estratégia, tecnologia, dados e operações. Eles são responsáveis pelo desenvolvimento de processos de governança que suportam esses domínios específicos.

A implementação da governança de SIG é desafiadora, mas altamente valiosa. Requer foco, comprometimento e estrutura. Com esforço e concentração nas áreas críticas, as organizações podem iniciar um caminho que leva à boa governança, o que pode resultar em benefícios significativos. É um processo que requer tempo e esforço, mas pode ser alcançado com a abordagem certa.

Leia neste artigo

Descubra o poder das soluções

Preencha o formulário para que um especialista Imagem possa encontrar a solução que você precisa.

0 0 votes
Avalie o Artigo
Acompanhe estes comentários
Me avise sobre

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Faça sua busca
EU Esri 2024

Antes de sair...

O EU Esri Brasil está chegando!