Como o GIS otimiza a transição energética na indústria de óleo e gás (parte 2)

Leandro Coutinho

Analista De Marketing Produtos E Verticais

Como foi visto neste artigo, muitas empresas de óleo e gás estão implementando novos projetos voltados para a transição energética em função da nova qualificação de demanda que vem sendo exigida no mercado.

Vários caminhos podem ser seguidos dentro desse contexto. Contudo, em todos eles as soluções ArcGIS contribuem significativamente no sucesso da implementação e operação de ativos voltados para a geração de energia renovável.

Formas de “aquisição e gestão da informação”, bem como de “Análise e avaliação de cenários” foram discutidos anteriormente no contexto de valor agregado para o negócio. Abaixo, mais formas de contribuição das soluções ArcGIS.

Monitoramento e Gestão de Riscos

O monitoramento de pessoas e equipamentos é essencial não só para a resiliência dos projetos de transição energética, mas também para o aumento de eficiência energética na cadeia de produção como um todo. A velocidade em que a informação de situação dos ativos chega aos responsáveis e tomadores de decisão pode fazer a diferença entre a manutenção da saúde dos ativos, evitando paradas não desejadas.

O aumento inesperado de temperatura de caldeira dentro do processo de geração de biocombustível, uma diferença de pressão indesejada em algum ponto de transporte de biogás e biometano ou uma interrupção brusca no transporte rodoviário de uma entrega de GNL precisam ser rapidamente identificados nos centros de comando para que soluções de contorno e contingência sejam elaboradas de forma proativa, evitando transtornos ou mesmo acidentes envolvendo fornecedores e consumidores.

As soluções ArcGIS estão preparadas para assimilar volumes massivos de informações correspondentes ao status e posição geográfica de cada colaborador ou equipamento da companhia em tempo real. Com base em regras de negócio estabelecidas em conjunto, é possível gerar e enviar alertas (dentro de sistemas, por e-mail, mensagens de texto, etc) direcionados para as pessoas certas no exato momento em que uma condição adversa é identificada.

Figura 8 – Solução de monitoramento em tempo real e histórico recente de geração de energia eólica por turbina

O histórico desse monitoramento também é insumo importante para análises preditivas. Com essas análises, é possível antecipar defeitos e problemas, além de otimizar processos.

Dados históricos de monitoramento da cadeia produtiva podem revelar, por exemplo, oportunidades de redução de custos de produção ou de emissão de gases poluentes.

O mesmo raciocínio se aplica em rotas de inspeção, manutenção e entrega de produtos. A otimização logística pode produzir resultados similares ao longo de toda a cadeia de suprimentos.

StoryMaps – Veja como o Porto de Suape: monitorando a movimentação e atracamento de navios em tempo real

Colaboração e Compartilhamento

Não é possível alcançar êxito em qualquer projeto de transição energética sem a capacidade de comunicar o valor do produto final a patrocinadores, financiadores, colaboradores e consumidores.

Todos os indicadores utilizados para comprovar a efetividade da transição energética são resultado de cálculos feitos a partir de informações provenientes de diversas fontes de dados internas e externas.

A gestão desse fluxo de informação é muito complexa.

Além disso, a retroalimentação dessas fontes de dados com o resultado do trabalho e a disseminação para patrocinadores, financiadores, colaboradores, executivos e para o público geral garantem o engajamento necessário para a continuidade de cada iniciativa.

Figura 9 – StoryMaps Boletim de Transmissão – ciclo 2022. Fonte: Empresa de Pesquisa Energética – EPE – Veja como a EPE está utilizando o ArcGIS StoryMaps

Quanto isso é feito através da emissão de grandes relatórios com descrições alongadas boa parte desse engajamento é desperdiçado.

Nesse sentido, as soluções ArcGIS são capazes de fazer com que um mapa valha mais do que mil palavras. Na verdade, mapas dinâmicos embutidos em relatórios interativos valem muito mais.

Os fluxos de trabalho quando realizados dentro ou integrados às soluções ArcGIS asseguram a governança de todas as fontes de dados, inserção de dados de forma colaborativa, cálculos automatizados de indicadores ambientais, operacionais, voltados para manutenção ou qualquer outros pertinentes e posterior disponibilização de relatórios dinâmicos atualizados em tempo real.

Criados dessa maneira, os relatórios podem ser disponibilizados de forma corporativa, mas com acesso controlado, levando transparência da informação para quem precisa.

Os relatórios podem ser criados e pulicados através da seleção e configuração de componentes. Não há necessidade de nenhum conhecimento de programação.

Veja aqui como a Petrobras faz a divulgação dos seus projetos e diagnósticos ambientais
Veja como o IBAMA uniu dados de quase 70 gerencias diferentes em um único relatório dinâmico e interativo

Diante de tudo o que foi visto, entende-se que o desenvolvimento de fontes de energia renováveis ​​– como instalações de energia eólica, solar, de hidrogênio e biocombustíveis – e a infraestrutura para apoiá-las são inerentemente espaciais por natureza.

A tendência atual em projetos de energia renovável é utilizar a análise geoespacial para ajudar os líderes a otimizar os sistemas de geração e transmissão de energia, mudando a forma como as empresas aproveitam os recursos renováveis.

Neste panorama, as soluções ArcGIS são diferenciadas, aplicando uma abordagem digital para desenvolver a produção de energia renovável através do uso de mapas e sensoriamento remoto, da integração de dados de campo e equipamentos em tempo real e da implementação rápida de sistemas e painéis que garantem a identificação de oportunidades e mitigação de riscos.

Leia neste artigo

Descubra o poder das soluções

Preencha o formulário para que um especialista Imagem possa encontrar a solução que você precisa.

0 0 votes
Avalie o Artigo
Acompanhe estes comentários
Me avise sobre

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Faça sua busca

Espere,

Separamos as Principais atualizações do ArcGIS para Você!