Saneamento ESG – As melhores práticas para redes de esgoto

Os compromissos ESG da indústria de saneamento podem ser monitorados com uso de uma base de dados georreferenciada. Entenda!

Diogo Reis

Water Industry Specialist

O conceito de ESG (Environmental, Social and Governance), que avalia as práticas ambientais, sociais e de governança de uma organização, ganhou relevância nos debates e nas estratégias de grande parte das empresas nos últimos anos. Dentre os três pilares, o aspecto ambiental considera as práticas relacionadas aos eventuais impactos ao meio ambiente pelos processos realizados pelas organizações. O aspecto social considera as relações de uma empresa com funcionários, instituições e comunidades onde atuam. O aspecto governança leva em consideração a forma como a empresa promove sua administração, incluindo a remuneração dos executivos, a tomada de decisões e o cumprimento da lei.

A adoção de estratégias alinhadas com os pilares ESG pode criar grande valor para as organizações, como redução de custos operacionais, elevação da produtividade, otimização de investimentos e conformidade regulatória.

Os compromissos ESG na indústria de saneamento

Quando analisamos os setores relacionados a infraestrutura, o saneamento se destaca como um dos segmentos de maior importância para a implantação de práticas ESG nos municípios. O saneamento consiste no conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem pluvial e disposição de resíduos sólidos urbanos. Os serviços de saneamento promovem a melhoria da qualidade de vida da população, incluindo benefícios na saúde e na educação, na expansão do turismo, na despoluição dos rios e na preservação dos recursos hídricos.

Atualmente, o Brasil possui uma grande necessidade de expansão dos serviços de saneamento nos municípios, principalmente sob a perspectiva dos sistemas de esgotamento sanitário. Expandir a disponibilidade das redes de coleta de esgoto, por exemplo, possui impacto direto nas ocorrências de contaminação ambiental. Para diminuir o impacto do despejo irregular de esgoto, os efluentes domésticos e industriais devem ser tratados adequadamente antes de retornarem ao meio ambiente. Garantir que todos os imóveis estejam conectados às redes, para coleta do esgoto, é uma das missões relacionadas as obras de expansão em saneamento.

A perspectiva social, outro pilar da agenda ESG, também está presente nas estratégias de expansão das redes de esgoto nos municípios. Uma maior cobertura das redes de esgoto tem um impacto direto na saúde pública, e promove maior igualdade social no acesso a infraestrutura de qualidade. Sendo assim, o desenvolvimento econômico e social também está relacionado com a evolução do saneamento nos municípios. É fundamental que haja maturidade na infraestrutura dos municípios para que haja o desenvolvimento econômico, tornando as obras de saneamento parte dessa estratégia.

Para garantir que as melhores práticas de gestão de rede de esgoto sejam adotadas considerando os aspectos da agenda ESG, as empresas de saneamento devem considerar 5 importantes aspectos:

  1. Mapear as redes e os pontos de coleta:

A primeira etapa para gerenciar os sistemas de coleta de esgoto é identificar a localização e as características técnicas das redes e dos pontos de coleta de esgoto no sistema. Construir uma base de dados georreferenciada, dos ativos e dos clientes, é a base para operar o sistema de forma eficiente.

  1. Planejar ações de manutenção preventiva e corretiva:

A partir dos dados de ativos e clientes, é possível compreender a dinâmica das redes e criar estratégias para garantir o correto funcionamento da coleta de esgoto. Ações de limpeza preventiva, desobstrução de esgoto e substituição de redes podem ser realizadas com maior precisão.

  1. Otimizar a operação do sistema:

A operação do sistema pode ser otimizada através de soluções tecnológicas integradas, como sistemas supervisórios, modelagem hidráulica e monitoramento climático. Redução de custos operacionais podem ser obtidos em diferentes processos de negócios.

  1. Expandir a cobertura das redes de esgoto:

Estratégias de expansão do acesso ao esgotamento sanitário devem ser definidas com base no perfil socioeconômico dos municípios, e devem conter planos para realização de investimentos e ações de acompanhamento das obras.

  1. Monitorar os indicadores estratégicos do sistema:

Para garantir o cumprimento das metas organizacionais, indicadores relacionados a operação, ao meio ambiente e a qualidade dos serviços prestados à população devem ser definidos para a rede de esgoto e considerados na estratégia pela alta gestão da organização.

PARA SABER MAIS DE NOSSA SOLUÇÃO PARA REDES DE ESGOTO, CLIQUE ABAIXO!

 

Veja mais em:

Gêmeos Digitais para Saneamento: mundo virtual e real conectados

Digital Twins: o futuro do Gerenciamento Sustentável em Saneamento

 

Nossos especialistas estão sempre acompanhando e divulgando tendências e dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber, em primeira mão, nossos conteúdos exclusivos:

INSCREVA-SE

Leia neste artigo

Descubra o poder das soluções

Preencha o formulário para que um especialista Imagem possa encontrar a solução que você precisa.

0 0 votes
Avalie o Artigo
Acompanhe estes comentários
Me avise sobre

1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments

Assine grátis a News Coordenadas

Acompanhe as novidades em Geotecnologia, Location Intelligence aplicados em todas as áreas de negócios.

Faça sua busca

Espere,

Separamos as Principais atualizações do ArcGIS para Você!