Como a Tecnologia é capaz de te apoiar no Combate às Mudanças Climáticas

Daniel Henrique Cândido - Especialista em Recursos Naturais - Imagem Esri - Autor Portal GEO

Daniel Henrique Cândido

Especialista em Recursos Naturais - Imagem/Esri

Medições realizadas desde meados do século 19 têm apontado que nosso planeta está passando por um período de intensas anomalias climáticas.

A constatação de que a emissão de gases de efeito estufa está diretamente ligada a tais mudanças no clima é consenso entre as maiores instituições de pesquisa do planeta.

A associação entre as emissões de gases de efeito estufa e o aquecimento global motivou o surgimento de diversos mecanismos voltados à promoção de ações de mitigação de tais impactos.

Um bom exemplo está na criação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), sediado na cidade de Genebra, na Suíça.

Composto por cientistas oriundos de renomadas instituições de pesquisas climáticas de todo o mundo, o IPCC é a entidade responsável por emitir relatórios demonstrando a grau alcançado pelas mudanças climáticas, exibir projeções de cenários futuros e sugerir ações mitigatórias.

As projeções de avanço nas mudanças climáticas expostas pelo IPCC motivaram um engajamento internacional em busca de uma solução para o problema.

Neste sentido, criou-se um protocolo envolvendo metas de redução e monitoramento de emissões de gases de efeito estufa, denominado GHG Protocol (do inglês Greenhouse Gas Protocol ou GHPG), o qual é subdividido em 3 diferentes escopos como exposto a seguir:

  • Escopo 1 – Emissões diretas de gases de efeito estufa: Busca cobrir todas as formas de emissões diretas relacionadas às atividades da empresa, incluindo o consumo de combustíveis, veículos da companhia e gases expelidos.
  • Escopo 2 – Emissões indiretas vinculadas à energia elétrica: abrange as emissões relacionadas às utilizações de eletricidade, incluindo aquecimento, refrigeração e geração de vapor. Embora tais emissões resultem de atividades exercidas pela companhia, normalmente elas ocorrem em localidades distantes da empresa. Estima-se que as emissões indiretas sejam responsáveis por mais de um terço de todos os gases de efeito estufa presentes na atmosfera.
  • Escopo 3 – Outras emissões indiretas: neste escopo encontram-se os elementos mais complexos de serem monitorados, uma vez que envolvem emissões vinculadas a elementos externos, tais como gases gerados na produção de insumos e equipamentos utilizados pela companhia, emissões relacionadas à viagens corporativas, transporte e deslocamento dos colaboradores até o posto de trabalho, emissões relacionadas aos produtos ao longo de seu ciclo de vida, além de eventuais geração de gases de efeito estufa por atividades de franquias ou relacionada aos investimentos.

Como exposto, a adequação de uma companhia aos três escopos do GHG Protocol é uma atividade de elevada complexidade. Não obstante, o número de grandes e médias companhias que voluntariamente estão aderindo ao protocolo é cada vez maior visto que ele pode ser utilizado na obtenção de diversas certificações que permitem demonstrar aos clientes e stakeholderes que sua companhia se encontra no caminho da busca de uma produção limpa, com o mínimo impacto deletério para a vida em nosso planeta.

Tal complexidade, faz com que não seja possível que este monitoramento seja tratado de forma trivial.

Assim, é necessária a adoção de uma plataforma robusta, capaz de lidar com banco de dados de elevada heterogeneidade, tratando as informações com uso do que há de mais avançado na área de inteligência artificial.

Considerando a pluralidade de operações envolvidas, é perfeitamente possível afirmarmos que a plataforma ArcGIS é capaz de dar todo o suporte necessário para que sua empresa monitore as emissões de gases de efeito estufa, estime o sequestro de CO2 pelas florestas mantidas para mitigação dos impactos e demonstre a todos interessados de forma eficiente como tais ações estão sendo realmente efetivas.

O poder da cartografia lhe permitirá empreender análises visuais, elaborando painéis com mapas interativos, demonstrando quais áreas estão armazenando maiores quantidades de Carbono, além de tornar evidente a saúde da floresta, evidenciando que suas ações vão muito além de meras obrigações legais, tornando nítida a preocupação da companhia com toda a sociedade.

Clique abaixo e saiba como a tecnologia pode dar suporte às suas ações de sustentabilidade!

Você também pode gostar:

Modernização na Coleta de Dados em Campo e Automação na Exploração Mineral

Guerra da Ucrânia: impactos na indústria global de Mineração

Como a inteligência geográfica pode apoiar na Gestão de Barragens de Rejeito


Você gostou desse artigo?

O Portal GEO está sempre trabalhando para trazer novidades, tendências e o que há de melhor em dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber com comodidade todos os nossos artigos, que tenho certeza, vão te apoiar em seu cotidiano profissional e pessoal, te deixando sempre bem informado:

Leia neste artigo

Descubra o poder das soluções

Preencha o formulário para que um especialista Imagem possa encontrar a solução que você precisa.

5 2 votes
Avalie o Artigo
Acompanhe estes comentários
Me avise sobre

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Faça sua busca

Espere,

Separamos as Principais atualizações do ArcGIS para Você!