O COVID-19, sem dúvida, afetou muito o ramo do varejo em geral. Antes mesmo da paralização devido a pandemia, algumas empresas estavam trabalhando intensamente para que o impacto fosse o menor possível.

Quando a situação se agravou, houve uma queda repentina de receita com níveis sem precedentes de desemprego e o fechamento de diversas empresas físicas.

Foi inevitável que mudássemos o nosso perfil de consumo, resultando em uma enorme mudança de comportamento e estratégia nas compras em geral.

Devido a esse e outros fatores, como por exemplo o custo de aluguéis e outras obrigações financeiras, muitas empresas não suportaram o momento e a transformação repentina fez com que os níveis de atendimento ao cliente caíssem drasticamente.

Uma observação fundamental é que essas mudanças de comportamento vistas no período tendem a se manterem por tempo indeterminado, devido a credibilidade, nível de satisfação e confiança que os consumidores notaram na prestação de serviço, que além de muita comodidade mexe com a nova experiência do consumidor, impactando mais em novas sensações e previsões do que com a certeza de satisfação que o levará a realizar novas compras.

A partir disso, varejistas não podem manter as práticas convencionais e necessitam buscar resultados diferentes, precisando se reinventarem urgentemente, repensar o modelo de negócios, operações e canais de atendimento, ou seja, revisar a cadeia de valor para encarar os atuais e os futuros desafios, baseando-se muito nas informações já mencionadas anteriormente pelo Diogo Rosanelli em seu artigo.

Ou seja, requer uma grande massa de dados aliada à transformação digital para que se entenda os padrões e realizar análises estratégicas desafiadoras para responder questões como:

  • Onde vendo mais?

  • Em que lugar possuo bom Market-share?

  • Onde estão meus clientes? Qual o perfil de compra (E-commerce ou lojas físicas)?

  • Qual a variedade de produtos ideal para minimizar custo com estoque?

  • Onde estão e quais os movimentos dos meus concorrentes diante da situação?

  • Estas e diversas outras perguntas para apoio a tomada de decisões, podem ser respondidas por meio de grandes massas de dados que possuem uma variável em comum, a geográfica.

  • Junto a tudo isso, existe a necessidade de transformação em toda a cadeia e é fundamental entender como as empresas enfrentarão os desafios, o que será crucial para a sobrevivência em um mercado tão competitivo.

A seguir, destaco algumas ações estratégicas em departamentos fundamentais para que os executivos possam adotar em suas novas práticas e extraírem novos insights para os negócios:

Análise e inteligência de mercado

É fundamental que as empresas, principalmente de bens de consumo, entendam a natureza mutável de como os clientes consomem seus produtos, onde estão, qual canal, o mix de produtos ideal, concorrentes e onde estarão as próximas oportunidades de crescimento de market-share.

Esta ciência de interpretação do mercado mudou significativamente após o início da pandemia, pois passou a exigir análises mais sofisticadas, visto que a dinâmica dos consumidores vem mudando de forma significativa.

Para permitir acompanhar esse fenômeno, os executivos devem começar a monitorar e estudar dados próprios, como por exemplo, a sua base de clientes (CRM).

A informação em conjunto com o Sistemas de Informações Geográficas (SIG), provê um poder analítico amplo para o apoio na tomada de decisões assertivas, pois revelam novos padrões de consumo e comportamento dos clientes, ou seja, suportando processos de decisões inteligentes.

Estratégias para bens de consumo no planejamento estratégico

Exemplificando essa informação, podemos notar que as pessoas antigamente passavam em até 3 locais distintos para finalizar sua necessidade semanal de mercearia.

Agora, com a pandemia, essa mesma pessoa procura ir em apenas um local onde deseja encontrar o que necessita, minimizando a sua exposição social.

Com esse tipo de análise de comportamento, combinada ao SIG, os executivos varejistas podem transformar lojas comuns para lojas de conveniência. Ou então criar um novo modelo de negócios, melhorando a variedade de produtos daquela loja para atender o público daquela região.

Podemos citar o caso do grupo Boticário, que através dos desafios impostos pela pandemia aceleraram o uso de mapas inteligentes e interativos para tomar decisões como estratégias de campanhas em mais de 4 mil pontos de vendas, além da área de vendas diretas por meio de consultoras.

Estratégias para bens de consumo no planejamento estratégico

Portanto, tão importante quanto reestabelecer os negócios é saber como retomar, ou seja, planejar estrategicamente cada uma das ações, para não impactar em altos custos.

Com uma boa análise de situação do mercado de cada local, você tem em mãos mais inteligência à sua cadeia de valor, podendo fazer tudo através de dashboards geográficos analíticos de toda sua operação com indicadores onde suportam as decisões de cada local.

Estratégias para bens de consumo no planejamento estratégico

Cadeia de suprimentos (logística e operação)

Antes mesmo da crise do COVID-19, diversos setores sempre tiveram diversos desafios, principalmente quando falamos da cadeia de suprimentos.

Não se trata apenas da entrega final de produtos, mas também de toda a cadeia produtiva de indústrias e outros segmentos, pois no Brasil, sempre foi um desafio, por conta de diversas dificuldades intermodais e, claro, a predominância rodoviária, mas isso é tema para outra discussão.

O que quero abordar é que as empresas sempre tiveram que rever modelos de negócios eficientes para otimização de custos logísticos e manter o nível de serviço, como já existiam movimentos e aplicações de técnicas como: just-in-time, last-mile delivery, adoção de modelos de dark stores ou então mini-hubs (localizados em lojas capazes) próprios de distribuição, tudo isso para melhoria da eficiência de entrega, com foco principalmente em melhorar a experiência dos clientes multicanal, porém, essas estratégias ainda eram adotadas de forma tímida.

Com a pandemia muita coisa mudou, entre elas o perfil de consumo, ocasionando uma aceleração na adoção dessas estratégias para atender a grande demanda. Inclusive, gigantes varejistas adquiriram suas próprias frotas ou transportadoras, entre outros movimentos para comportar a grande demanda em locais estratégicos.

Estratégias para bens de consumo no planejamento estratégico

O fato é que o planejamento estratégico baseado em dados e análises de localização apoia diretamente as decisões no planejamento da cadeia de suprimentos, pois ao tomar a decisão assertiva você tem vantagem competitiva frente aos concorrentes e pode afetar diretamente a incidência de altos custos se uma decisão equivocada for tomada.

O uso de mapas inteligentes é fundamental nas decisões estratégicas, como por exemplo, a análise de reposicionamento de mercado para um varejista físico, onde com a pandemia, atualmente, suas vendas para uma determinada região são acima de 70% online, ou seja, é valido estudar a viabilidade para transformar aquela loja física em um hub de distribuição, pautado na variedade que é mais demandado naquela região – ganhos como agilidade de entrega (last-mile delivery) e satisfação do cliente, tornando diferencial e provável nova compra futura – reduzindo custos de operação.

Neste exemplo citei apenas um processo de análise possível, dentre outras diversas que uma plataforma SIG oferece, o ponto de partida para planejar essas ações de análise e sair na frente dos concorrentes pode começar através de dados próprios e um mapa inteligente.

Estratégias para bens de consumo no planejamento estratégico

A capacidade de um varejista de sobreviver e prosperar à medida que as condições melhoram depende da resiliência.

No novo mundo do varejo, causado pela pandemia e possivelmente pós-pandemia pela adaptação aos novos costumes do consumidor, a resiliência é construída e orientada à dados, reconhecimento de localização e vontade de fazer diferente.

Uma ferramenta SIG completa é capaz de te apoiar nestas tarefas trazendo capacidades analíticas para suportar o processo de decisão, se tornando um ativo essencial que irá te proporcionar visões analíticas adequadas ao poder de decisão, diferentemente do que um simples dashboard.

Para saber mais, conhecer como quebrar paradigmas e acelerar seus negócios fale com a gente.


Fique por dentro de todas as novidades do Portal GEO. Faça grátis sua inscrição!

Veja também:

Como preparar o seu negócio para a Black Friday e para o Natal

EBOOK GRÁTIS: Análise de Localização para varejo!

Saiba meios de conhecer o comportamento do cliente no varejo

Exagere nos seus mapas!

O surgimento de uma nuvem geoespacial


Você gostou desse artigo?

O Portal GEO está sempre trabalhando para trazer novidades, tendências e o que há de melhor em dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber com comodidade todos os nossos artigos, que tenho certeza, vão te apoiar em seu cotidiano profissional e pessoal, te deixando sempre bem informado: