Dica do editor: ArcGIS na Saúde Pública - complemento da leitura das 5 etapas efetivas: assista ao vídeo com mais casos reais e eficazes de usar o GIS no combate ao COVID-19

As 5 etapas efetivas se complementam neste conteúdo completo de vídeo com casos reais e eficazes do uso de análises em mapas no combate ao COVID-19! Clique, assista e enriqueça sua leitura!


Uma vez que a pandemia do novo coronavírus está impactando populações de países no mundo todo, diversas ações para reduzir o ritmo da dispersão do vírus estão sendo tomadas, em esforços combinados de órgãos federais, estaduais e locais e empesas privadas nos últimos dias e semanas. Aqui você vai descobrir ações em 5 etapas efetivas para combater o COVID-19.

Antes de que os testes se tornem disponíveis em larga escala, estados e cidades podem tomar medidas efetivas para medir e avaliar a situação, identificando necessidades e traçando intervenções onde exista a demanda.

Listamos aqui, 5 etapas efetivas para governos enfrentarem o COVID-19, com ferramentas para entender e mitigar os impactos do vírus na saúde pública, com exemplos de como os usuários ArcGIS estão implantando-as no mundo e no Brasil.

  1. Mapear os casos aplicando o GIS!
  2. O primeiro passo para usar GIS (Sistema de Informações Geográficas) no combate ao COVID-19 e propagação de qualquer infecção é obter uma imagem holística do que está acontecendo e aconteceu no território. Essa representação visual inicial dos dados é extremamente interessante para entender como, quando, e o mais importante, onde alocar recursos.

    O mapeamento de casos confirmados, mortes, recuperações e casos ativos permite que os órgãos de saúde pública identifiquem onde suas atuações são mais necessárias.

    Uma das primeiras iniciativas foi o mapa publicado pelo Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, ilustrando claramente o valor dessas visualizações. O mapa, que visualiza estatísticas sobre casos confirmados, fatalidades e recuperações onde ocorreram ao longo do tempo, foi amplamente compartilhado na mídia e nas redes sociais.

    O uso dos painéis sobre o COVID-19 também se tornou popular em sites de governos estaduais e municipais, que procuravam informar o público no Brasil, como o Governo de Santa Catarina, a Prefeitura de Vitória e a Prefeitura de João Pessoa. Muitas variações de dashboards criados por usuários da plataforma ArcGIS no Brasil e no mundo podem ser encontrados no Portal da Imagem sobre o Coronavírus.

  3. Mapear a dispersão
  4. Ao monitorar a evolução diária ou por hora de casos ao longo do tempo e local, as autoridades podem ver padrões para prever a propagação futura da doença. Eles podem obter ainda mais insights adicionando camadas de dados, como redes de transporte ou áreas onde as pessoas tendem a se reunir, como shopping centers ou parques.

    Os dashboards construídos por usuários no Brasil, como o do Distrito Federal e da empresa Cabo Telecom em análises para o Rio Grande do Norte, apresentam mapas capazes de mostrar, regionalmente, o número de casos ativos e confirmados, recuperados e óbitos. Também possuem controle que permite aos usuários ver como a propagação da doença avançou nos últimos dias.

    Embora muita coisa sobre o novo coronavírus permaneça desconhecida, o uso de dados temporais e espaciais pode fornecer inteligência rápida para apoiar a preparação e a tomada de decisões.

  5. Mapear a população vulnerável
  6. O COVID-19 afeta desproporcionalmente os idosos e aqueles com outras condições de saúde. O mapeamento da vulnerabilidade social, idade e outros fatores ajuda a monitorar grupos e regiões de risco em uma cidade ou estado.

    Nós da Imagem também apoiamos governos no Brasil, produzindo um mapa com análise estatística sobre o perfil demográfico da população brasileira, identificando os setores censitários com alta densidade demográfica e com alta densidade de população pertencente à terceira idade.

    Ao identificar os locais dos grupos de maior risco, as autoridades podem determinar onde implantar recursos para a saúde em resposta a emergências.

  7. Mapear a capacidade de atendimento
  8. Depois que os técnicos da área de saúde identificarem as populações vulneráveis e padrões de infecção e disseminação, eles deverão estar prontos para administrar os cuidados em caso de demanda aumentada.

    Os mapas dos dashboards mostram a localização dos hospitais com leitos disponíveis, clínicas que oferecem assistência médica, supermercados, farmácias, além de dados como o tempo de espera atual e onde os hospitais podem localizar suprimentos críticos, como respiradores.

    O mapeamento de recursos permite que estados e municípios compreendam melhor sua capacidade atual de responder às infecções por COVID-19 e façam ajustes rápidos para aumentar a escala quando necessário.

    Nas cidades fortemente impactadas, esse tipo de informação pode potencialmente salvar vidas.

  9. Comunicar através de mapas
  10. Existem muitas mudanças recorrentes durante um cenário de emergência sanitária, e pode ser um desafio organizar respostas, voluntários, cidades e estados inteiros. Também pode ser especialmente difícil se comunicar com eficiência entre governantes, partes interessadas, parceiros e cidadãos.

    Mapas da web interativos, aplicativos de painel e StoryMaps fornecem informações que podem ser absorvidas e usadas imediatamente. A Prefeitura do Rio de Janeiro se comunica com o seu cidadão através do Painel Rio COVID-19, portal de informações geográficas que se tornou referência no município para a consulta e acesso aos dados sobre a pandemia.

Quer ir além das 5 etapas?
Clique abaixo e enriqueça sua leitura!

5 etapas efetivas para governos enfrentarem o COVID-19

Como começar as 5 etapas efetivas?

Ao combinar essas 5 etapas, governos e comunidades podem criar uma imagem precisa das áreas de risco e da capacidade de resposta de uma cidade, estado ou região.

Lembrando que todas as 5 etapas para usar o GIS no combate ao COVID-19, baseadas em casos reais de usuários do ArcGIS, que estão aplicando-as no Brasil e em todo o mundo.

A Esri fornece aplicações essenciais que as comunidades, governos e órgãos de saúde podem usar para informar sua resposta. Consulte o site do Esri COVID-19 GIS Hub para obter atualizações.


Fique por dentro de todas as novidades do Portal GEO. Faça grátis sua inscrição!

Veja também:

ArcGIS na Saúde Pública: veja especialistas falando de usos eficazes do ArcGIS durante a pandemia.

ArcGIS na prática: tutoriais para aprender de verdade

Tecnologia descomplicada para ajudar os caminhoneiros na crise do COVID-19

7 mitos (esclarecidos) sobre o ArcGIS Pro

Crise do Coronavírus e o fornecimento inteligente de produtos


Você gostou desse artigo?

O Portal GEO está sempre trabalhando para trazer novidades, tendências e o que há de melhor em dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber com comodidade todos os nossos artigos, que tenho certeza, vão te apoiar em seu cotidiano profissional e pessoal, te deixando sempre bem informado: