O que é ESG?

ESG é a sigla que corresponde a “environmental, social and governance” (ambiental, social e governança, em português) e reflete uma série de práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa.

A Agenda ESG de uma empresa tem se mostrado uma tendência crescente entre instituições de diferentes segmentos, sendo muitas vezes critério de avaliação para investimentos.

De acordo com o Jornal Valor Econômico, a captação de recursos de fundos ligados à temática ESG cresceu de R$107 milhões em 2019 para R$4,43 bilhões em 2020 [1].

Seguindo a tendência global, o aumento destes investimentos no Brasil reflete a influência e importância deste tema, onde investidores e empresas buscam criar um ambiente mais sustentável, mais justo socialmente e mais seguro, frente a seus stakeholders.

ESG e as empresas de Saneamento

Quando analisamos os setores ligados a infraestrutura, como Energia Elétrica, Telecomunicações, Transportes, Arquitetura e Engenharia, o setor de Saneamento é um dos setores que apresentam processos mais conectados aos pilares de ESG. Esta afirmação se torna de fácil compreensão se analisamos os grandes números da Indústria de Saneamento no Brasil.

O Brasil possui o maior potencial hídrico do mundo, além de ser um dos países com maior biodiversidade, o que torna a perspectiva ambiental uma peça fundamental quando se trata de captação e distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto.

Hoje no país, de acordo com último levantamento do SNIS, cerca de 35 milhões de brasileiros ainda não possuem acesso a água potável e cerca de 100 milhões de brasileiros ainda não possuem acesso a coleta e tratamento de esgoto.

Expandir os serviços de saneamento possui um aspecto social diretamente ligado a saúde e bem-estar da população. Além disso, a Indústria passa por um momento de reestruturação com o Marco Legal do Saneamento, com uma nova regulação e grandes perspectivas de investimentos no setor. A Governança nas empresas de saneamento, com as novos objetivos e metas dos contratos de concessão, passa a ser algo que deve evoluir rapidamente.

Com a sociedade e investidores cada vez mais engajados com os princípios da Agenda ESG, as empresas de saneamento precisam se estruturar e garantir que seus processos estejam alinhados com o compliance desta temática.

O planejamento estratégico da companhia, os programas e objetivos corporativos, os processos gerenciais e operacionais devem ser realizados segundo os pilares do ESG, garantindo maior confiança da sociedade e de investidores.

Para isso, muitas empresas precisam reavaliar seus processos de negócios e identificar pontos de melhoria e de evolução. Neste sentido, a geotecnologia pode ser um recurso de grande valor para as companhias de Saneamento.

ESG e Location Intelligence

A identificação, a análise, a execução e o monitoramento dos diferentes processos das companhias de Saneamento podem ser otimizados com o uso dos recursos do GIS e da Location Intelligence.

Considerando os processos relacionados a conservação ambiental, a igualdade social e as políticas de governança, o GIS fornece diversos recursos para otimizar e melhorar os resultados obtidos nestas três frentes de trabalho. Abaixo, estão descritas algumas possibilidades de uso do GIS frente aos 3 pilares da Agenda ESG:

Meio Ambiente

  • Conservação de bacias e mananciais;

  • Combate as perdas de água;

  • Monitoramento da qualidade da água;

  • Proteção a biodiversidade;

  • Despoluição de rios e reservatórios;

  • Redução da emissão de carbono;

  • Geração e uso de energia a partir de fontes alternativas;

  • Regularização de pontos de descarga de efluentes nas bacias;

  • Combate a escassez hídrica;

  • Programas de Educação Ambiental.

Conservação e Monitoramento de Bacias Hidrográficas
Formulário – Avaliação de Bacias Hidrográficas

Social

  • Monitoramento do acesso aos serviços de saneamento (universalização);

  • Garantia do abastecimento de água;

  • Expansão das ligações de esgoto em regiões socialmente vulneráveis;

  • Inclusão de clientes através de programas de Tarifa Social;

  • Otimização de canais de comunicação com consumidores;

  • Engajamento com funcionários;

  • Relacionamento com a comunidade.

Monitoramento da Expansão das Ligações de Esgoto

Governança

  • Avaliação de Riscos Corporativos;

  • Indicadores e metas de eficiência operacional;

  • Estímulo a Inovação;

  • Monitoramento e atendimento a diretrizes nacionais e internacionais de qualidade;

  • Engajamento com governo e sociedade;

  • Existência de canais de denúncias.

Monitoramento de Eventos Críticos
(Riscos Corporativos)

Clique abaixo e saiba mais sobre como o GIS pode apoiar as companhias de Saneamento por meio do ESG!

Fique por dentro de todas as novidades do Portal GEO. Faça grátis sua inscrição!

Você também pode gostar:

Aplicação de Técnicas de Deep Learn e Pytorch para Censo em Plantio Florestal 90 dias

EBook: Os 25 anos de Geoprocessamento da SEDU / PARANACIDADE

INDI Maps – Plataforma de Site Selection para Atração de Investimentos em Minas Gerais

Planejamento urbano com qualidade para os municípios paranaenses


Você gostou desse artigo?

O Portal GEO está sempre trabalhando para trazer novidades, tendências e o que há de melhor em dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber com comodidade todos os nossos artigos, que tenho certeza, vão te apoiar em seu cotidiano profissional e pessoal, te deixando sempre bem informado: