Autoria:

  • Ricardo Braz (Assessor técnico de Geoprocessamento – SIGeo);
  • Vitor Vale (Diretor de Geoprocessamento – SIGeo);
  • Marcelle Rodrigues (Assessora técnica de Geoprocessamento – SIGeo);
  • Mariana Motta (Assessora técnica de Geoprocessamento – SIGeo);
  • Gabriela da Cruz (Estagiária de Geoprocessamento – SIGeo);

Com o surgimento do novo coronavírus no final do ano de 2019, na península de Wubei na China, em pouco tempo houve sua disseminação para todos os continentes do mundo, levando a Organização Mundial da Saúde, decretar pandemia. Dessa forma, um esforço global tem sido desenvolvido no combate ao COVID-19, como por exemplo, decretos que impõe isolamento social na maioria dos países afetados.

Para tanto, o presente artigo busca apresentar como as governanças locais vêm atuando através de suas políticas públicas na contenção do contágio, tendo como área de estudo o município de Niterói, localizado na Região Metropolitana do estado do Rio de Janeiro – Brasil.

O eixo temático irá abarcar como as soluções geográficas, através das geotecnologias podem legitimar ações governamentais, e servirem como principal fonte de dados espacializados disponíveis à consulta pública.

Acompanhamento dos dados de COVID-19 em Niterói através de painel de indicadores e infográficos, histórico de ações e espacialização 2D e 3D dos casos.

Em janeiro, por meio de uma portaria, foi criado o Grupo de Resposta Rápida ao Novo Coronavírus e posteriormente passaram a integrar o Gabinete de Crise, comandado pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves. O referido Gabinete orienta todas as repartições municipais, como a rede de ensino, saúde e espaços públicos, sempre de acordo com a análise técnica e científica dos profissionais envolvidos no combate à doença.

Inúmeras foram as ações da Prefeitura, desde garantir a segurança alimentar dos alunos de escolas municipais, em situação de vulnerabilidade social, como também a sanitização das principais vias do município e comunidades. Além disso, programas de pagamentos à diversos públicos foram implementados com receita exclusivamente municipal.

A distribuição de cestas básicas, kits de limpeza e higiene pessoal e máscaras de proteção, são alguns exemplos das ações supracitadas. A criação do centro de referência de quarentena, parceria com instituições de pesquisas para o mapeamento do novo coronavírus, também configura medidas das políticas públicas do município.

Para tanto, conhecer o território e os fluxos que o integram garantem legitimidade à criação de programas e ações da prefeitura para minimizar os impactos que ocorrem nesses espaços acometidos pela doença.

Com isso, pode-se citar a criação do painel elaborado pela equipe SIGeo, a qual integra a Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, que lança mão de dados georreferenciados sobre a quantidade de infectados, além de produzir informações das área mais afetadas, tudo isso, contando com a tecnologia de inteligência geográfica a favor das tomadas de decisão e informação atualizadas do município.

A solução tecnológica

O desafio escolhido pelo SIGeo foi o desenvolvimento de uma aplicação que fosse adaptável a qualquer tipo de dispositivo que estivesse acessando o conteúdo dos mapas, informações e painéis disponibilizados. Então optou-se pela utilização do ArcGIS Experience Builder para a divulgação aos munícipes.

CLIQUE AQUI para acessar a aplicação do SIGeo ou veja abaixo a versão mobile!

Como conteúdo embutido na visualização para telas grandes (Versão Desktop), foram inclusas as soluções criadas através de abas na aplicação ArcGIS Story Map Series e disponibilizadas juntamente com painéis externos de escala nacional e global.

Acompanhamento dos dados de COVID-19 em Niterói - imagem 1

Versão desktop.

A aplicação conta com o Painel Dashboard, Webscene 3D, Timelapse de evolução dos casos e StoryMap com informações sobre COVID-19 e as ações promovidas pela Prefeitura Municipal de Niterói.

Na sua visualização em telas pequenas (Versão Mobile) possui a maioria dos recursos, porém de forma simplificada devido a limitação de espaço de exibição e processamento dos dispositivos.

Acompanhamento dos dados de COVID-19 em Niterói - imagem 2

Versão mobile.

SIGeo mostra a importância da transparência das informações

Toda a aplicação foi planejada para levar, de forma simples e direta, um conjunto de dados e informações, permitindo que os gestores tomem suas decisões, bem como a população tenha acesso à informação transparente diretamente da prefeitura.

Com o avanço das tecnologias, os dados geoespaciais ganham força na tomada de decisão e isto pôde ser observado de forma mais acentuada durante a pandemia. Neste período, as soluções buscadas pelos órgãos governamentais e privados contribuíram para a compreensão e o diagnóstico da situação.

O SIGeo segue no trabalho de desenvolvimento de aplicações eficazes e que prezem pela transparência na divulgação das informações. É preciso pensar no período após a pandemia e como isso irá afetar a vida de todos, planejando e idealizando soluções.


Fique por dentro de todas as novidades do Portal GEO. Faça grátis sua inscrição!

Veja também:

ArcGIS na Saúde Pública: veja especialistas falando de usos eficazes do ArcGIS durante a pandemia.

5 etapas efetivas para governos enfrentarem o COVID-19

Planejamento urbano com qualidade para os municípios paranaenses

7 mitos (esclarecidos) sobre o ArcGIS Pro

Empresas de Saneamento usam o GIS em resposta à crise do COVID-19


Você gostou desse artigo?

O Portal GEO está sempre trabalhando para trazer novidades, tendências e o que há de melhor em dicas do universo GIS. Clique abaixo e faça sua inscrição gratuita para receber com comodidade todos os nossos artigos, que tenho certeza, vão te apoiar em seu cotidiano profissional e pessoal, te deixando sempre bem informado: